E Começou a Briga para Explicar o Sinal Wow! Antonio Paris x SETI

Recentemente, muitos sites ficaram eufóricos diante de um estudo publicado pelo Dr. Antonio Paris, professor de Astronomia da Faculdade de São Petersburgo, no estado da Flórida, e cientista-chefe do Centro para Ciência Planetária, dizendo que o sinal “Wow!”, registrado em 1977, tinha sido um fenômeno natural de um corpo do Sistema Solar. No estudo foi apontado que o responsável teria sido um cometa, provavelmente o 266P/Christensen, que não era conhecido na década de 1970. Porém, conforme dissemos anteriormente, era necessário cautela, visto que havia algumas ressalvas importantes, e pelo visto, não estávamos sozinhos em relação a esse aspecto, ao contrário do que estava sendo propagado na mídia.

Em uma notícia publicada por Jesse Emspak nos sites “Live Science” e “Space.com”, duas grandes referências no âmbito da Ciência e Astronomia, foi apontado que diversos astrônomos, incluindo o próprio Jerry Ehman, o descobridor do sinal “Wow!”, estavam céticos quanto aos resultados. Jerry disse que leu o estudo publicado por Antonio Paris e apontou dois grandes problemas, além do que já havíamos citado: o primeiro é que o sinal não se repetiu, e o segundo é que o mesmo apareceu por pouquíssimo tempo. Em entrevista para o “Live Science”, Jerry Ehman disse que deveríamos ter visto a fonte do sinal passando por duas vezes em cerca de 3 minutos: uma resposta com duração de 72 segundos, e uma segunda resposta também por 72 segundos dentro de um espaço de um minuto e meio. Porém, não vimos a segunda resposta.

Ainda segundo Jerry Ehman, a única forma disso acontecer seria se o sinal fosse interrompido abruptamente. Além disso, um cometa não produziria esse tipo de sinal, porque os gases que o rodeiam cobrem grandes áreas difusas. De qualquer forma, o descobridor do sinal “Wow!” continuava não acreditando, que eventuais extraterrestres tivessem enviado aquele sinal. Em sua defesa, Antonio Paris sugeriu que tudo poderia ter sido uma falha no radiotelescópio Big Ear, mas não soube explicar o que poderia ter acontecido em 1977. Vale lembrar nesse ponto, que o Big Ear acabou sendo desmantelado cerca de 20 anos depois, em 1997.

Um outro problema seria a frequência de transmissão de 1.420 MHz. Antonio Paris apontou que os cometas podiam gerar emissões nesse intervalo, porém Seth Shostak, astrônomo sênior do Instituto SETI, permaneceu cético em relação a esse ponto. Segundo ele, cometas não poderiam gerar hidrogênio suficiente para emitir um sinal tão potente quanto o sinal “Wow!”. Aliás, ninguém nunca teria registrado tamanha emissão proveniente de cometas. No estudo, o Dr. Antonio Paris apenas especulou sobre as razões pelas quais, o sinal captado recentemente foi muito menor do que o registrado em 1977. Já no Twitter, ele acusou o SETI de querer manter o mistério sobre o sinal “Wow!”, porque o mesmo seria uma fonte de renda para o instituto. Enfim, vamos acompanhar essa história! Quaisquer novidades manteremos vocês informados!

Fontes:

Canal Assombrado
https://www.youtube.com/user/AssombradoBlog

https://goo.gl/1cDTcE

Créditos:
Redator Marco Faustino

Saiba mais:
O Misterioso Sinal “Wow!” Teria Sido Finalmente Solucionado? Viria de um Cometa?

O Misterioso Sinal “Wow!” Teria Sido Finalmente Solucionado? Viria de um Cometa?

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta