O Misterioso Sinal “Wow!” Teria Sido Finalmente Solucionado? Viria de um Cometa?

O sinal foi detectado em 15 de agosto de 1977, a partir do radiotelescópio “Big Ear”, da Universidade Estadual de Ohio, no Observatório Perkins, nos Estados Unidos. O Dr. Jerry Ehman estava trabalhando em um projeto para o Instituto de Pesquisa de Inteligência Extraterrestre (SETI). Então, naquela noite, ele notou um sinal surpreendentemente forte em uma coluna de dados alfanuméricos. Com uma caneta vermelha, ele rabiscou a palavra “Wow!” na margem, e circundou a sequência. Acreditava-se que o sinal tivesse vindo de uma região do espaço a noroeste do aglomerado globular M55, que fica a 17.600 anos-luz da Terra. O Dr. Jerry Ehman, no entanto, sempre foi cético quanto a origem, sendo que muitos cientistas acreditavam que o sinal teria partido do nosso próprio planeta.

No ano passado, o Dr. Antonio Paris, professor de Astronomia da Faculdade de São Petersburgo, no estado da Flórida, e cientista-chefe do Centro para Ciência Planetária, propôs uma hipótese argumentando, que um cometa e/ou sua nuvem de hidrogênio eram fortes candidatos para explicar a fonte do sinal “Wow!”. Aliás, o objetivo era estudar dois deles: o 266P/Christensen e P/2008 Y2 (Gibbs), que teriam transitado na mesma região e na mesma época em 1977. A diferença é que só descobrimos ambos em 2006, portanto ninguém sabia da existência deles em 1977. Além disso, a próxima passagem do 266P/Christensen seria em janeiro desse ano, ou seja, uma oportunidade única para realizar esse estudo!

E não é que o Dr. Antonio Paris levou isso adiante? Em um recente estudo, ele citou que foram realizadas 200 observações (do Sol, do plano galático, de cometas, entre diversas outras) entre 27 de novembro do ano passado e 24 de fevereiro desse ano. Ele e sua equipe descobriram, que não apenas o 266P/Christensen emitia ondas de rádio na frequência de 1420 MHz (a mesma frequência do sinal “Wow!”, mas com pequenas variações), mas outros outros três cometas, que eles selecionaram aleatoriamente: P/2013 EW90 (Tenagra), P/2016 J1-A (PANSTARRS), e 237P/LINEAR. Os resultados dessa investigação concluíram que os espectros cometários são detectáveis a 1420 MHz e, mais importante ainda, que o sinal “Wow!” de 1977 foi um fenômeno natural de um corpo do Sistema Solar!

Entretanto, sempre há ressalvas. A principal delas é que força do sinal detectado recentemente, a partir do cometa 266P/Christensen, foi muito menor do que aquela de 1977. O Dr. Antonio Paris especulou, que força do sinal original poderia ter sido devido ao tamanho do “Big Ear” (Antonio Paris usou um radiotelescopio bem menor) e/ou pela perda potencial de massa do cometa 266/P Christensen, que teria sido bem maior há 40 anos. Enfim, de qualquer forma, por enquanto, a sua hipótese é a melhor explicação que temos. A próxima oportunidade de colocar isso a prova será em 7 de janeiro de 2018, com a passagem do P/2008 Y2 (Gibbs)!

Fonte:
Canal Assombrado
https://www.youtube.com/user/AssombradoBlog

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta